sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

ENTREVISTA DO PREFEITO PAULO TADEU GERA "FUZUÊ" NA CIDADE

SOCIALISTA FALOU SOBRE CARNAVAL, ECONOMIA E REAJUSTE DO PISO DOS PROFESSORES.

Fazia tempo que uma entrevista na Rádio Vicência FM causava polêmica. Pelo menos o prefeito Dr. Paulo Tadeu (PSB) conseguiu dar uma animada no atual cenário da política vicenciana. Convenhamos que o clima está um tanto morno e o gestor aproveitou o encerramento da folia de momo para fazer algumas provocações aos seus adversários. Quer dizer, o recado foi direto para o pré-candidato Guilherme Filho, Guiga, do PSDB. Durante a entrevista (ouça áudio abaixo) o gestor até elogiou o comportamento do ex-aliado, Dija (PSD), atual vice-prefeito, com o qual os laços políticos foram exterminados (pelo menos por enquanto).

Na entrevista exibida durante o programa da locutora Márcia Nascimento, o prefeito fez um balanço do carnaval em Vicência, falando sobre as dificuldades que teve em realizar a festa. "Senti muito não ter realizado a terça dos maracatus. Sei que o pessoal que gosta sentiu a falto e eu também admiro e gosto de ver os trabalhadores rurais se fantasiarem e brincarem nos dias de Carnaval. Mas infelizmente a prefeitura não pode bancar os maracatus", ressaltou Tadeu.

A parte que gerou polêmica foi quando ele falou sobre a participação do bloco encabeçado pelo pré-candidato tucano, Guiga, Os Babuletas. Segundo ele houve uma irresponsabilidade da diretoria do bloco e uma falha da Polícia Militar em permitir o desfile da agremiação sem aviso prévio às autoridades de segurança.

O prefeito ainda falou que estará encaminhando ao Ministério Público um ofício no qual informará todo o pagamento do funcionário no período. Ele ainda ressaltou que o departamento financeiro e o setor jurídico já estão se mobilizando para conversar com os professores no que diz respeito ao reajuste do piso salarial da categoria.

OUÇA A ENTREVISTA NO PLAYER ABAIXO:



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A QUINZE (TAMBÉM) QUER FREVAR (2016)

PELO SEGUNDO ANO CONSECUTIVO MÚSICOS FIZERAM O PRÓPRIO BLOCO.

O fato de não ter havido escolha do rei e da rainha do Carnaval não tirou o brilho do bloco A XV Quer Frevar.. Os integrantes da orquestra, que animam a maioria dos blocos da cidade, resolveram que também deveriam dedicar um dia, ou uma noite, para eles próprios.

O cenário não poderia sr outro: o centro histórico da cidade. No largo da Matriz, rodeada pelo Mercado Regional de Artes e os poucos casarões que restam, a Banda ocupou o coreto de onde se apresentou para o público. A programação contou com o sorteio de brindes para os foliões que adquiriram um bilhete de rifa.

Por volta das nove e meia da noite a orquestra arrastou os foliões pelas principais ruas da cidade. 

Dizem que foi o maior percurso do Carnaval 2016...

Veja as fotos. Clique AQUI

AGUARDE O VÍDEO NA TV VICENCIANET

EM VICÊNCIA ESTUDANTES DERAM PONTAPÉ INICIAL À FOLIA

MESMO SEM RETORNO DEFINITIVO, ESCOLAS FORAM ÀS RUAS FREVAR.

O ano letivo propriamente dito não começou ainda para a maioria dos estudantes, mas isto não impediu que centenas deles fossem às ruas da cidade pular o frevo e dançar ao som da Banda Overdose, no Ginásio de Esportes.

Mesmo em  meio às dificuldades, a Secretaria de Educação e Esportes realizou o tradicional Carnaval dos Estudantes na manhã da última sexta-feira. O evento marcou o início da folia no município. Aos poucos os foliões iam chegando na concentração em frente à Praça do Fórum. Que o diga a turma da escola Juvenato Padre Guedes, primeira a comparecer de maneira organizada.

A equipe da Secretaria de Educação montou um carro abre-alas com as presenças do rei e da rainha, um balé e os mascotes da Olimpíadas do Rio de Janeiro, Vinícius e Tom. Os Agentes de Saúde distribuíram preservativos e orientaram os brincantes sobre o perigo das doenças causadas pelo mosquito Aedes Egypt (Dengue,
zika e chikungunya). A orquestra XV de Novembro acompanhou os foliões no percurso pelas principais ruas da cidade.

Ao final todos se dirigiram ao Ginásio de Esportes Amaury Pedrosa, onde a Banda Overdose já aguardava para a realização do show.

Em um trabalho conjunto entre a SEDUC e a Secretaria de Desenvolvimento Social, foi servido um lanche e uma feijoada aos estudantes que compareceram ao evento.

VEJA AS FOTOS. CLIQUE AQUI

AGUARDE EXIBIÇÃO DO VÍDEO NA TV VICENCIANET

DEPUTADO MARINALDO ROSENDO VISITA CORRELIGIONÁRIOS EM VICÊNCIA.

SOCIALISTA DESTINOU EMENDA DE 1 MILHÃO PARA O MUNICÍPIO.

O deputado federal Marinaldo Rosendo aproveitou a folia de omo para visitar suas bases eleitorais. em um giro pela Mata Norte, o socialista visitou o prefeito Paulo Tadeu (PSB) e seus correligionários. Os vereadores Bidoga (PMDB) e João Milanez (PDT) compareceram à casa do prefeito, onde puderam conversar com o deputado-empresário. 

A secretária de assistência social, Tita Jerônimo, que também estava presente na reunião,  foi apresentada como candidata do PSB nas próximas eleições.

O assunto principal da roda de conversa foi o atual cenário político e econômico do Brasil. "Esse é um momento no qual faz muita falta a figura do ex-governador Eduardo Campos", ressaltou Rosendo. O prefeito Paulo Tadeu aproveitou para relatar as dificuldades as quais os gestores dos municípios enfrentam e disse que irá usar o recurso destinado pelo deputado na construção de calçamentos.

Marinaldo ainda compareceu à Rádio Vicência FM onde concedeu entrevista a este blogueiro. Após a conversa na emissora seguiu para as cidades de Buenos aires e Nazaré da Mata.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

EREM PADRE GUEDES: TAPETE VERMELHO, MÚSICA E BANQUETE PARA RECEBER NOVATOS.

ALUNOS DOS PRIMEIROS ANOS TIVERAM O SEGUNDO CONTATO COM A ESCOLA.

As aulas ainda nem tinham começado e os alunos matriculados na Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Padre Guedes, em Vicência, já compareciam à instituição de ensino devidamente acompanhados dos familiares. Tiveram o primeiro contato com o local que irão passar os próximos três anos de suas vidas.

A expectativa era geral. Muitos contavam as horas, minutos, segundos para colocarem os pés na Escola Padre Guedes. A emoção não poderia ser menor. A primeira visão impressionava: um belíssimo tapete vermelho recepcionava os estudantes advindos do Ensino Fundamental. Em derredor, equipe gestora, professores e alunos que outrora haviam passado pela mesma experiência.

Aplausos, votos de boas-vindas, estouro de confetes e música ao vivo. Assim os alunos novatos da EREM Padre Guedes foram recepcionados. Um grupo de alunos e ex-alunos já esperavam no pátio entoando canções religiosas. A diretora Ivânia Figueiredo deu as tradicionais boas-vindas e apresentou os funcionários da escola.


A GRE Mata Norte se fez representar através de Arlete Araújo, ex-aluna da escola, que se emocionou ao ser convidada para falar: "esta casa é muito acolhedora, então aproveitem porque este momento é de vocês", pontuou.

Claro que todos se alimentaram antes de sair de casa. Mas já fazia algum tempo e adolescente todo o mundo sabe como é. O pessoal da cozinha preparou um verdadeiro banquete: cuscuz, salsicha, bolo, cachorro-quente, melão, melancia, suco, café e muito carinho das tias da merenda.

Já os alunos mais "experientes" ficaram responsáveis pelo repasse dos conteúdos dos quatro pilares da Educação Integral: CONHECER, CONVIVER, SER e FAZER. O recado foi dado por alunos do segundo terceiro ano em quatro salas distintas.

Ao meio-dia os alunos foram liberados e certamente terão muitas histórias para contar até o final de 2018.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

CARNAVAL DE VICÊNCIA: PREFEITO EDITA DECRETO SOBRE GASTOS COM A FESTA

CONTENÇÃO DE GASTOS É A TÔNICA DO DOCUMENTO.

A crise que insiste em permanecer no Brasil fez com que diversas prefeituras cancelassem as festas de Carnaval. Em muitos municípios o Ministério Público orientou os prefeitos a não usarem o dinheiro público para pagar bandas, blocos e artistas. Vicência foi uma delas.

Depois de receber uma determinação da promotoria pública para evitar gastos com a folia de momo, o prefeito Paulo Tadeu (PSB) lançou o decreto municipal 005/2006, no qual determina a redução das despesas com a realização das festividades carnavalescas no ano curso. O gestor fixou um percentual de 30% do valor gasto em 2015 "em respeito à moralidade e ao momento de dificuldade que se encontra o país", acrescenta o socialista.

O parágrafo único do referido decreto de termina que o período de Carnaval em Vicência estender-se-á da sexta-feira, com o Carnaval dos Estudantes até a segunda, com uma Manhã-de-sol no ginásio de esportes:


A prefeitura estará pagando o salário da Educação na próxima quinta-feira (04). Os funcionários desta secretaria receberão os vencimentos com  1/3 das férias do mês de janeiro. As demais secretaria receberão até o dia dez.

A programação do Carnaval, em Vicência, ficou assim definida:

QUINTA-FEIRA (04/02) - 15 HORAS: Carnaval do Instituto Sagrado Coração de Jesus, com a orquestra XV de Novembro e Trio.

SEXTA-FEIRA (05/02) - 09 ÀS 14 HORAS : Carnaval dos Estudantes, com orquestra e Banda Overdose.

                                         20 HORAS: Bloco A XV quer frevar (Orquestra)

SÁBADO (06/02) - 18 HORAS: Bloco Babuletas do Geraldo

                                20 HORAS: Zé Pereira, com a banda Bicho do Mato e Trio (concentração no Ferro Velho)

DOMINGO (07/02) - 10 HORAS: Bloco Abacaxi (Concentração no espaço A Fazenda)

                                    14 HORAS: Show com André Rios no Ginásio de Esportes.

                                    18 HORAS: Bloco das Virgens (Concentração no Bar de Zacarias)

SEGUNDA (08/02) - 10 HORAS: Bloco Os Perseguidos (Concentração Rua do Cajueiro)

                                   18 HORAS: Baile de Fantasia (Ginásio de Esportes)

CARNAVAL DE TODAS AS IDADES: EXEMPLO DE ORGANIZAÇÃO E CUMPRIMENTO DE HORÁRIO.

A FOLIA DA MELHOR IDADE.

A animação foi geral. Desde a concentração, em frente à Fundação do Bem-estar Social, até o encerramento no Ginásio de Esportes. O evento teve início pontualmente às três horas da tarde, conforme anunciado. 

Grupos de idosos de municípios da Mata Norte desfilaram pelas ruas de Vicência com muita animação. Uma orquestra de frevo e um mini trio elétrico tocaram frevos e sucessos de outros carnavais. Integrantes do Maracatu Leão da floresta se apresentaram ao som de um carro abre-alas.

O bloco seguiu pela Avenida Doutor Manoel Borba, rua 03 de maio
e Praça de Eventos, encerrando com muito frevo, no interior do Ginásio de Esportes Amaury Pedrosa, com a orquestra Revoltosa , de Nazaré da Mata.

"Vicência foi escolhida para sediar o bloco da melhor idade e nos orgulhamos em receber todos com muito amor e carinho", reiterou a secretária de Desenvolvimento social, Tita Jerônimo, que também enalteceu o trabalho e o apoio do prefeito Paulo Tadeu aos idosos do município.

VEJA MAIS FOTOS. CLIQUE AQUI

NAZARÉ OU CARPINA? R$ 6,00 E R$ 9,00, RESPECTIVAMENTE!

SUBIU!

Quem quiser viajar para a Terra do Maracatu ou a Cidade Planalto terá que desembolsar R$ 1,00 a mais do que estava acostumado. Muitos motoristas já estão cobrando seis reais para Nazaré da Mata e nove para Carpina. Até Esperança o valor fica em R$ 5,00. O reajuste foi da ordem de 12,5%

A chiadeira vai ser geral, mas depois acostuma.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

EREM PADRE GUEDES REALIZA REUNIÃO COM PAIS E NOVATOS

ANTES DO INÍCIO DO ANO LETIVO A ESCOLA CONVOCOU PAIS E RESPONSÁVEIS.

A Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Padre Guedes, em Vicência, realizou na manhã desta quarta-feira (27) uma reunião com pais, mães, responsáveis e alunos dos primeiros anos. "O objetivo é sempre repassar para todos sobre as normas e condutas da escola e é importante termos esse contato antes do início das aulas", ressaltou a gestora Ivânia Barbosa Figueiredo.

Foram tratados os mais variados assuntos, tais como os horários de funcionamento da escola, os dias integrais (terças e quintas-feiras), o código de conduta, uso do fardamento, frequência dos alunos e dos pais nas reuniões, comportamento dos estudantes dentro e fora da sala de aula, dentre outros.

Cerca de 110 pais compareceram à escola e ouviram as orientações e recomendações da gestora, Ivânia Figueiredo e da analista Josineide Cazumbá. Os novos alunos, que também estavam presentes, receberam duas camisas, "com as quais
virão no próximo dia 3 de fevereiro para a acolhida", lembrou a gestora.

No próximo dia 30 de janeiro a escola estará completando 58 anos de fundação.




terça-feira, 26 de janeiro de 2016

E O CARNAVAL DE(EM) VICÊNCIA?

O POVO JÁ FEZ A FESTA E PODE VOLTAR A FAZER NOVAMENTE.

Muitas pessoas em Vicência tiveram a oportunidade de assistirem a uma apresentação do grupo OS DILETANTES. De acordo com o dicionário, o vocábulo designa "aquele que se ocupa em qualquer assunto por prazer e não por obrigação." E assim o era.

Nos intervalos das manhãs-de-sol, no Clube Municipal, Lula Medeiros, Zé Carlos, Reginaldo (Potência), Ruben, Nenen, Renê Luna e Danielzinho tocavam samba enquanto os integrantes da orquestra tomavam uma merecida água. De acordo com Lula, o repertório do grupo era o samba de raiz. O nome foi uma "invenção" do produtor Arnaldo Alexandrino ( o homem do Telex), que nas horas vagas figurava como goleiro da seleção de Vicência com a camisa número 99.


Não sei se tenho tanta moral para falar sobre a folia de momo em Vicência. Acho que muitas outras pessoas teriam muito mais o que dizer sobre o evento. Pelo pouco que pude acompanhar posso fazer uma análise de como os foliões brincavam no passado e como o fazem hoje. O certo é que as pessoas ficaram mais exigentes e, como tudo evoluiu, ninguém se conforma apenas em bater numa lata, se vestir de estopa e sair gritando: "alaursa quer dinheiro, quem não der é pirangueiro!"

Mesmo contra a vontade dos nossos pais (principalmente minha mãe, que me criou na Igreja Batista), íamos à Praça Joaquim Nabuco para ver os carros dando rabiadas. O Carnaval vicenciano se resumia às manhãs-de-sol no Clube Municipal e aos arrastões pelas ruas da cidade, incluindo o tradicional Zé Pereira. Não havia cobrança da população sobre a vinda de bandas ou cantores famosos e todos se conformavam com os acordes do Mestre Aurinho e as graças da catirinas e papangus.


As prefeituras viviam até desafogadas nessa época e podiam tranquilamente financiar a festa. Os blocos se resumiam aos moradores de algumas comunidades que se juntavam, faziam uma cotinha, os homens se vestiam de mulher e as mulheres de homem, outros compravam uma máscara em Seu Baixa Bilau, as crianças pegavam uma lança (os que não tinham recursos inventavam uma engenhoca com um pedaço de cano pvc e um pau, pense numa pressão!) e a festa estava feita.

A praça Joaquim Nabuco, também chamada de Praça de Táxi, era cenário para os Landaus, Galaxs, Fuscas, Brasílias, Variantes, Corcéis, Opalas e Chevetes com seus motoristas doidos darem rabiadas e quebra-de-asas. O mela-mela tomava conta do folguedo. O problema é que muita gente usava produtos químicos, os mais sensatos usavam talco Cinta Azul e Maizena. Quem não quisesse se melar, não saísse à rua. Que o diga o Carro do Óleo.


As manhãs-de-sol e os bailes noturnos no Clube Municipal e depois no ginásio de Esportes eram pagos. Os responsáveis vendiam as mesas, que garantiam o pagamento da orquestra e da banda, e lucravam com os ingressos e o bar. Com o passar do tempo foram aparecendo os blocos.

Um dos primeiros estandartes a ter destaque foi  o PAPAGAIO DOURADO, cujo comando era de Seu Lau da Ambulância. Cite-se também, à mesma época, AS BIÔNICAS, uma prévia das atuais Virgens, que tinha à frente outro conhecido folião vicenciano, o caminhoneiro Sabiá. Surge então o ALISANDO CRESCE, de Seu João Coutinho, que perdurou por vários carnavais até deixar de existir.

No início deste século, mais especificamente em 2004, a Usina Laranjeiras resolve lançar O Bagaço, um bloco que abria o Carnaval em Vicência e região por se apresentar na sexta-feira à noite. Até então era o Zé Pereira que dava abertura ao evento, no sábado gordo. No ano seguinte o Barrados na Folia realizou o maior desfile carnavalesco de todos os tempos na história de Vicência. A partir daí o dinheiro público começou a ser usado para financiar uma parte dos grandes blocos. Obviamente a prefeitura entrava com sua contrapartida, já que outros patrocinadores davam suas contribuições. A cidade ainda teve outro grande bloco, o Ladeirada, originado no Loteamento João Maranhão (Alto da Foice).


Este ano parece que teremos uma volta ao passado no Carnaval de Vicência. Os grandes blocos não irão desfilar e a prefeitura se livrou de dar vultuosas contribuições às troças carnavalescas. Até mesmo porque muita gente migra para as praias ou vão passar os três dias de folga em retiros, sítios, fazendas e afins.

Muitos prefeitos decidiram por si próprios cancelar as festas de Carnaval (mesmo contra a vontade) devido a atual crise que insiste em não sair do país. Um investimento pífio está sendo feito por alguns e, aqueles que não podem fugir da regra, como as grandes metrópoles, correm atrás de parcerias até o último momento.


Fica complicado para um estado que está vivendo um caos na Saúde e Segurança financiar os festejos carnavalescos. Talvez a partir de agora os gestores definam o que é prioridade para uma população. Claro que as festas não deixarão de existir, mas é preciso ter coerência na hora de aplicar os recursos públicos, oferecendo cachês absurdos a artistas de renome. Ainda hoje tem prefeitura e governo de estado atrapalhado por conta disto.

O certo é que este Carnaval, em matéria de disponibilidade de recursos públicos, será tão magrinho quanto este blogueiro. Nada a reclamar. O mundo é dos lights.

Samuel Cazumbá

Agradeço a Lula Medeiros, José Carlos Lopes e Moisés Dionísio pela contribuição ao artigo.
A Banda DILETANTES deu origem ao PAINEL 8.